Mau hálito tem cura. Conheça as causas e os tratamentos.
50 milhões de brasileiros têm esse problema. 22 de setembro é o Dia Nacional de Combate ao Mau Hálito.

A halitose atinge hoje cerca de 50 milhões de pessoas no Brasil. Um em cada três indivíduos teve ou terá mau hálito, um problema que causa grande desconforto no convívio social afetando os relacionamentos pessoal, emocional e profissional. Embora não seja uma doença, o mau hálito tem cura e precisa ser tratado já que pode ser um sinal de que algo no organismo está em desequilíbrio.

Segundo a ABHA (Associação Brasileira de Halitose), são inúmeras as causas que provocam o mau hálito e, ao contrário do que muita gente pensa, problemas no estômago representam menos de 1% delas. O estresse do dia a dia, a ansiedade, a menopausa, a rinite e até a hipertensão podem estar entre as causas da halitose.

Jejum prolongado e dietas descontroladas são hábitos que contribuem para aumentar os fatores que causam o mau hálito. A baixa produção de saliva (iva e problemas nas vias aéreas como adenóides, por exemplo, também estão entre os agentes causadores.

Por isso é importante procurar um especialista para que seja feito um diagnóstico e, assim, a indicação do tratamento adequado. Segundo a Dra. Cláudia Ferreira Santos, especialista em halitose, além de medidas simples como a utilização correta de fio dental, escovação e higienização da língua, os tratamentos profilático (preventivo) e o curativo são os mais eficazes no combate ao mau hálito.

“Hoje contamos com o auxílio da tecnologia para medir com precisão os compostos sulfurados voláteis que determinam se uma pessoa tem ou não mau hálito”, pontuou. Na área desde 2001, a especialista admite que hoje a procura por tratamento aumentou bastante e garante que, desde que seja feito um diagnóstico correto, a halitose tem cura.